The Journey – San Francisco

March 29, 2010

Descendo colinas abaixo, a neve foi ficando para trás… Assim como minha primeira experiência com ela, que eu nunca vou esquecer. Tudo o que passei dessa viagem até agora, foi deixando saudade… E olha que estava longe de acabar.

Uma bela manhã de segunda-feira e estávamos indo para San Francisco! Como as estradas que tínhamos que pegar estavam fechadas, nós fomos por outra que o dono do hotel de Bridgeport havia recomendado. Infelizmente não ia dar para chegar pela parte norte de San Francisco como eu planejei, mas pelo menos chegaríamos. (Se eu chegasse pela parte norte à San Francisco, entraria na cidade pela Golden Gate Bridge. Entendeu?!)

Então foi por volta do meio dia que chegamos em San Francisco, pela Emperor Norton Bridge. Todo aquele Sol lindo e maravilhoso deu espaço para um céu cinza, cheio de nuvens e aquela chuvinha chata. Fiquei puto da vida, onde já se viu perder um visual lindo da cidade, por uma chuvinha de meia tigela? Droga… Mesmo assim não desanimei, entramos na cidade e daqui posso dizer que San Francisco é diferente de todas as cidades da Califórnia, ou até do oeste. Ela tem um ar de New York, mas não deixa de ter sua identidade. San Francisco é única, assim como toda essa viagem vem sendo..

Entramos em downtown, aqueles prédios gigantescos e as ladeiras típicas da cidade.. Que lindo.. Nossos tickets para o Hearst Castle* estavam marcados para o dia seguinte, às 9am e como chegamos em SanFran depois do meio dia, seria impossível fazer tudo o que planejamos e depois passar pelo Silicon Valley (Vale do Silício), descer até Carmel, dormir em Carmel, conhecer Carmel, deixar Carmel pela manhã e chegar no Hearst Castle que fica em uma cidade chamada San Simeon, que não é perto de Carmel.. (Um doce para quem adivinhar quantos Carmel’s eu escrevi! Hahahah..)

Então conhecemos San Francisco sem pressa, tive que cortar o Silicon Valley do roteiro, com muita dor no coração.. Estava tão perto de conhecer o lugar de várias empresinhas caseiras como Google, Yahoo!, Oracle, Adobe, Cisco Systems, Symantec, Electronic Arts e eticétera ao quadrado! Enfim.. Quando chegamos, a primeira coisa que fizemos foi dar uma volta sem compromisso.. Fui clicando fotos enquanto dirigia, porque era muita coisa para ver e pouco tempo (e paciência) para parar, tirar fotos e voltar a cada meio quarteirão que a gente passava. Decidimos procurar a Lombard Street, que é famosa por suas curvas. Lembro que li há um tempo atrás, que é a rua mais curvada do mundo, não sei se isso ainda perdura, mas de qualquer forma, é muito legal dirigir por ela não só porque seu caminho é tortuoso, ou porque a vista dela é incrível, mas também por tudo o que ela representa, principalmente para mim. Bom, chegamos nela muito por acaso, e justo no trecho que ela é curvada (porque no resto, é uma reta só). Saquei logo meu celular/câmera e comecei a filmar enquanto descia, mesmo embaixo de chuva. Depois de algumas fotos e tudo mais, fomos para a famosa Golden Gate Bridge. U-A-U! O que é essa ponte?

Na verdade, ela nem é a maior, nem a mais cumprida, e muito menos a com maior tráfego, mas é a mais bonita e com certeza a mais conhecida. Perto dela também há a ilha de Alcatraz, a prisão/fortaleza que foi cenário de vários filmes, como o “A Rocha” por exemplo. Incrível né?

Depois, mais uma volta pela cidade, vimos os famosos bondes de San Francisco, e confesso que achei meio irritante ter os trilhos dos bondes no meio das pistas.. Além de derrapar nos trilhos com a chuva, é muito desconfortável quando o carro trepida a cada mínimo movimento em cima dos trilhos, mas enfim…

Almoçamos em um bistrô lá no bairro Castro, que é bem conhecido por sua.. “alegria”.. hehehe, paramos também em Chinatown, que é muito típico.. Parece a 25 de Março, mas em uma subida. =]

Passeamos pela cidade mais um pouco, e de novo era notório que não ia dar para conhecer tudo. Combinei com meu amigo que ligaríamos no Hearst Castle para reagendar o ticket para mais tarde, porque estávamos há horas de chegar lá e seria logo na manhã seguinte. Saímos de San Francisco à 6pm. Alguma coisa passa pela sua cabeça quando você junta cidade grande + seis horas da tarde? Deixa eu te refrescar a memória: TRÂNSITO! Pois é, umas duas horas para sair dali. Não que eu esteja reclamando; a cada parada total do carro, eu já sacava o celular, e tirava mais uma foto.. Hahaha, mas mesmo assim, duas horas de trânsito ninguém merece né. Mas para meus leitores paulistas que sofrem com o trânsito na Marginal Tietê ou na 23 de Maio (assim como eu sofria), eu pelo menos estava no trânsito da Emperor Norton Bridge, uma ponte imitação da Golden Gate, mas 3 vezes maior! Heheh..

Conseguindo sair de San Francisco, havia chãããão até chegar em Carmel. Então, pé na tábua (ou melhor, no acelerador), porque amanhã seria o penúltimo dia da viagem, mas a gente não sabia disso ainda.. Hahaha..

Veja no Picasa as fotos desse dia pelo álbum “San Francisco”.

… continua!

Advertisements

Comments are closed.

%d bloggers like this: